segunda-feira, 31 de maio de 2010


um dia eu vou morar em uma cidade que chove sempre para que todo mundo entenda meu mau humor piorado com segunda feiras chuvosas... 




sábado, 29 de maio de 2010

Ontem, em meio uma seção lotada, vi Sex and The City 2. Ouso cair no lugar comum e dizer que sou mais uma dessas meninas/mulheres parecidas com Carrie. Sou uma mulher cara, sou incapaz de cozinhar, não costumo gostar tanto de ficar no sofá, escrevo quase compulsivamente sobre o que se passa no meu dia a dia, sou viciada em sapatos...
Quem me conhece de perto sabe que em vários momentos eu paro e faço uma referencia a algum episodio ou detalhe da serie. Não sou aquele tipo de maníaca, mas confesso que tenho uma memória excepcional para esse seriado em questão. E quando eu vi o filme, com a “volta” do Aidan, me fez lembrar um episódio onde as garotas questionam quantos grandes amores uma mulher pode ter. No fim, não lembro quem, mas suponho que tenha sido a Miranda, elas chegam ao numero de dois...
E será mesmo que em uma vida nós temos “direito” a dois grandes amores? Será mesmo tão conclusivo assim que existam apenas duas grandes chances de sermos felizes com alguém que nós amamos assim, tão loucamente?
Confesso que para mim essa “lei” continua valendo. Para mim, vão existir apenas duas pessoas que irão fazer seu coração congelar só de ouvir o nome, e não falo daquele congelamento momentâneo,  falo daquele frio na barriga característico daquela paixão arrebatadora, completamente diferente do amor que se constrói de convivência. Não que não haja amor de outras formas, claro que há, mas são amores diferentes, mais calmos, mais sensatos, mais comedidos, mais tranqüilos, quem sabe? Diametralmente opostos a esses grandes amores, que de sensatos e racionais parecem nada ter.
Pessoalmente, acredito que minha primeira ficha já foi e tenho medo que essa já seja a segunda... Então melhor começar a pensar como a Samantha e acreditar que temos várias chances...


Meu furacão em verde e cinza agora tem um cheiro...

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Quando nossa juventude tiver ido embora, quando nossos cabelos brancos começarem a aparecer, quando nossos rostos se tornarem irreconhecíveis no espelho, quando os problemas existências dos filhos se ornarem apenas coisas de adolescentes, quando os diários escritos, os livros lidos, os filmes vistos já não couberem na memória, quando a alcunha de tio der lugar a de avô, quando os sonhos se tornarem delírios, quando o nosso futuro já não o futuro principal, quando, finalmente, o tempo passar, por favor, me diga que nesse tempo só haverá calmaria e que eu não me arrependerei dos dias de hoje. 

quarta-feira, 26 de maio de 2010

    

Eu sempre quis ter uma polaroid, para mim sempre foi muito mágico ver a foto logo depois de bate-la... e papael faz toda a diferença no lugar de uma foto digital!

Essas maravilhas ai foram tiradas daqui, indicação da dona Soraya. 

terça-feira, 25 de maio de 2010

Existem pessoas que levam anos pra te ensinar ao menos uma lição, outras te ensinam num segundo.

Há muitos anos atrás, conheci uma garota que mudou muita coisa em mim. Éramos tão jovens, numa época em que toda chama vira um incêndio. E ela causou um desses em mim. Não sei se hoje ela seria capaz de lembrar meu nome, na verdade nem sei se ela ainda está viva hoje, mas existiu um dia em que ela me abraçou e que nós duas estávamos chorando. Naquele dia muita coisa mudou...
Agora, como que por um sinal, conheço alguém que me diz com quase todas as letras o que eu queria ouvir. Que me faz enxergar que não há erro algum em querer o que eu quero, como aquela menina há muito tempo fez. Falta-me apenas coragem, exatamente como faltou naquela época, de seguir uma estrada tão confusa assim.

Horrível quando, aos 22 anos, se alguém te perguntasse se você mudaria algo na sua vida você responderia: quase tudo. 

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Hoje me dei conta que já já fará seis meses de você... Incrível como a simples menção do seu nome me provoca sorrisos...
Sabe o que eu mais guardei seu? Guardei seu cheiro... Acho, na verdade, que foi seu cheiro que me ganhou, como quem diz eu pareço ser outra pessoa, mas no fundo eu sou assim. E ainda tem dias em que eu acordo e sinto seu cheiro pelo ar, como se você tivesse aqui, do meu lado, e não tão longe. E é esse seu cheiro que só me trás boas lembranças, que me trás apenas a loucura de estar ao seu lado, tão intensamente...
Agora, no dia-a-dia, te vejo impresso em traços de outro. Te vejo nos gestos de pés e mãos, na fala agoniadamente calma, nos detalhes que tantos não entendem mas que confirmam quando menciono a semelhança. E assim vou notando o quanto de ti guardei em mim e o quanto sinto falta daqueles dias e noites, daquela chuva, daquelas brincadeiras, daquele sorriso... Vou me dando conta do quando sou capaz de ter, inteiro, só de fechar os olhos, aqui, agora.

Será que você sabe que o que escrevo é para você? Será que o que você escreve é para mim? 

domingo, 23 de maio de 2010

que a semana seja doce, com sabor de chocolate; que o sol brilhe pouco, mas que existam duas ou três manhãs cinzas; que as madrugadas não sejam quentes e solitárias, mas que haja algum calor no fim de cada dia; que haja tempo para desenhar e pintar, escutando boa música e vendo crianças felizes; que não exista aquela chama da discórdia, e que em seu lugar fiquem as latas de cerveja; que haja magia, aquela magia boa de quando estamos apenas felizes; que haja, no fim, paz no meio desse já costumeiro caos.

bonne chance pra mais uma semana!



e as imagens de hoje são daqui

sábado, 22 de maio de 2010

Quando eu olho pro ceu, deitada na piscina, no sol de sábado, vejo uma antena, dessas de telefone celular, cortando o céu azul de fortaleza. Eu a vejo entre o telhado da casa que ainda chamo de minha e as várias plantas que estão por aqui. Ela é tão recente e ao mesmo tempo parece tão encaixada nessa vizinhança, como se nunca tivéssemos existido sem ela...E sem ela, dos nossos quintais, veríamos apenas as plantas e os pássaros que há muito deixaram de voar por aqui.

Alias, acabo de constatar que, quando pequena, sempre via pássaros voando naquela formação estranha de pássaros, e tinha medo por ter visto Os pássaros do Hitchock cedo demais. Aqueles pássaros da minha infância já não voam mais por aqui, e hoje, nos fim de tarde, vemos no céu, apenas, a torre, cortando tudo e nós lembrando que o progresso chegou, mesmo que no fundo dos quintais ainda existam ninhos perdidos...


Sim, eu vou senti falta dessa casa, desse balanço embaixo da mangueira, dos mandacarus gigantes, das tardes na piscina, do céu cortado pela torre...

sexta-feira, 21 de maio de 2010


 Expectativas              Implorar  
Novo amor                 Tentar
Realidade                   Falhar 
Aceitação                  Mostrar
Nova chance              Ligar
Esquecer                   Sonhar
Recomeçar                 Melhor que nada
Morrer                       Ja era!
Fim                           Fase
 Expectativas              Implorar  
Novo amor                 Tentar
Realidade                   Falhar 
Aceitação                  Mostrar
Nova chance              Ligar
Esquecer                   Sonhar
Recomeçar                 Melhor que nada
Morrer                       Ja era!
Fim                           Fase


Lindamente romantico pra vê se a sexta feira faz mais sentido!




e foi achado aqui, com ajuda do meu queridissimo Rafael!

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Venho, por meio desta, te informar que você se tornou meu novo furacão, meu furacão em cores, verdes e cinzas...

Só não entendo porque só percebi isso agora... 


a imagem lindissima do post de hoje é daqui. parece falar mais por mim do que eu mesma...



quarta-feira, 19 de maio de 2010

Me desculpe por ser assim, me desculpe por não conseguir gostar de você assim, me desculpe por ter até medo de tentar, me desculpe por não saber como te explicar, me desculpe por te querer por perto, me desculpe por ser eu mesma, me desculpe por minhas lágrimas, me desculpe pelos meus vazios, me desculpe por ser assim. 

terça-feira, 18 de maio de 2010

Há dias em que o caos é tão grande que o silêncio é o único desejo.
Há dias em que há tanto silêncio que o caos se faz necessário.
Mas nunca há dias onde o silêncio e o caos se complemente, onde não haja, nem que por uma ínfima fração de tempo, um desejo de um ou de outro.
O teu silêncio agora me sufoca e se perde na infinidade de coisas que fazem o caos aqui dentro.
Por hora, tudo podia calar e só você gritar.
Mas não vai acontecer bem assim. 

domingo, 16 de maio de 2010

Felicidade em cápsulas, amor em comprimidos, paz em latas. Garrafas de entusiasmo, caixas e mais caixas de coragem. Liberdade em quilos. 




vou me encolher, voltar a confiar em alguém, esperar o terremoto passar. quem sabe entrar num espelho, cair num buraco de coelho?! 








da uma olhada aqui









sábado, 15 de maio de 2010

De tudo ficaram três coisas...


talvez eu só precise de um tempo de calmaria, talvez eu só precise ouvir sua voz, talvez eu só precise de você longe daqui outra vez, talvez eu só precise de uma noite, talvez eu só precise que meu desejo se realize, talvez eu só precise de chocolate, talvez eu só precise das suas coisas idiotas, talvez eu só precise parar de precisar de coisas que vem de você.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

quarta-feira, 12 de maio de 2010


"Pq a minha vida é como voar num balão a sensação é maravilhosa mas eu nunca sei onde vai dar!"




no dia em que eu souber onde minha estrada começa e onde termina, eu não serei mais eu, serei só a sombra do que um dia eu fui. 



foto e texto achado, ao acaso, aqui. tão bom saber que não sou só eu que penso assim...

terça-feira, 11 de maio de 2010

Não lembro ao certo quando foi a primeira vez que entendi que não conseguia chamar Fortaleza de casa. Deve ter sido no meu aniversario de 9 anos, quando passei um bom tempo em São Luis e percebi o quanto lá era mais aconchegante do aqui, sem um motivo definido qualquer.
Durante minha adolescência, contava os dias para fazer 18 anos e sair dessa terra. Infelizmente, ou não, o destino me deu uma rasteira e eu continuei aqui. Como que por mágica fui descobrindo a cidade e aprendendo amar esse lugar. Fui me acostumando com as mudanças e  acabei vivendo aqui momentos que nunca vou esquecer. Mas no fundo sempre restou aquele sentimento de não me encontrar por aqui.


Hoje, amo o céu e o por do sol lindamente laranja que temos. Amo o Benfica e a forma como aquele bairro funciona. Amo os cafés da cidade e a possibilidade de andar na praia simplesmente pra relaxar. Amo o vento forte de setembro, a chuva de abril e maio, o cheiro do caju e da manga florescendo. Mas, mesmo assim, isso daqui ainda não é minha casa e agora voltar a ser a hora de contar os segundos para estar em outro lugar. 

segunda-feira, 10 de maio de 2010

A unica coisa que eu queria nessa noite
é um copo de rum com martini
cerejas no canto
algumas cartas jogadas no chão
pessoas dando risadas
anfetaminas esquecidas no banheiro
uma "bad trip"


Necessito de um telefonema apenas
Diz que sente minha falta, que me quer ao seu lado...
Quero seu cheiro, preciso do seu carinho
Brigue, grite comigo
Sou sua escrava...
Perdição total
Esquecimento de algo inexistente.


Eu quero uma ultima trepada...
Puxe meu cabelo, desconta sua raiva
e por favor, quando sair feche a porta
Não deixa rastros
e esqueça que me teve por alguns minutos,
por algumas horas, por alguns dias...
dentro de mim não tem espaço para futilidades.
e vc se tornou comum demais
perdeu a graça...




mais de 2004. tem horas que parece que não faz tanto tempo assim...

domingo, 9 de maio de 2010


Eu confesso que tive medo a primeira vez que te peguei no colo. Você não era mais um bebê desses de dias, já era um lindo rapazinho com dois meses e cheio de dobrinhas. Mesmo assim meu coração saltava, não sei se pelo medo de quebrá-lo ou pelo amor que já tinha desde que soube que você viria.

Recentemente eu tive medo de não conseguir amar ninguém como eu quero tanto amar, tive medo que meus sonhos não pudessem ser realidade, mas alguém especial me fez lembrar o quanto eu amo você e o quão próximo esse amor é desse amor de mãe que um dia eu quero ter. Então, com seus olhos claros e calmos, mais uma vez você me salvou. Você me fez descobrir que a mãe que eu vou ser não está mais em gestação mas que ela já nasceu quando essa tia destrambelhada nasceu.

algumas mães não nascem no momento que engravidam, algumas mães já nascem para serem mães. 

sábado, 8 de maio de 2010

sexta-feira, 7 de maio de 2010


Até onde nós somos nós mesmos e até onde nós somos uma colcha de retalho das nossas memórias familiares? Até que ponto isso pode ruir quando algum dos dois se quebra?
É preciso saber quem eu sou, é preciso fé para continuar a acreditar, é preciso coragem para entender que não há o que dizer/fazer, é preciso amor para aceitar incondicionalmente, é preciso paciência para que o tempo faça tudo ser apenas mais uma lembrança.


Posso fugir?

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Focus on the good things. Everyone’s life has positive and negative aspects — whether you’re happy or not depends largely on which aspects you focus on. Did you lose today’s softball game? At least you got to spend time with friends doing something fun. Did you sprain your ankle running? Well, your body probably needed a week’s rest anyway, as you were running too much! Did your baby get sick? Well, at least it’s only a flu virus and nothing life-threatening … and at least you have a wonderful baby to nurse to health! You can see my point — almost everything has a positive side, and focusing on the positives make all the difference. My Auntie Kerry died last week (as you know), and I’m still grieving, but 1) I’m happy I spent time with her before her death; 2) her death has brought our family closer together; 3) her suffering has ended; and 4) it reminded me to spend more time with the people I love while they’re still alive.

precisa de mais? achei por aqui.



ela prometeu que teria paciência. fechou os olhos e esperou.

quarta-feira, 5 de maio de 2010









finalmente abril vai embora, maio trouxe águas e já trouxe sorrisos, trouxe uma leveza que fazia tanto tempo que não sentia... será que é apenas a quarta feira ou será mesmo que o pesadelo de abril acabou?!


as imagens lindas do post de hoje foram encontradas aqui. é só um pouquinho da beleza do outro lado do mundo... 

terça-feira, 4 de maio de 2010





lindas imagens em moleskine!essa aqui é acrilica sobre papel, mas no flickr tem várias outras.


meu moleskine precisa ganhar mais cores...

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Sua Falta

E quando eu chego em casa, e não existe nada alem da escuridão, e o clic da fechadura, e nenhuma palavra. Eu sinto sua falta. Não há ninguém para reclamar do meu horário, para fingir que não esta em casa, para reclamar do quanto que esta com fome.
E as paredes vão me lembrando você. Eu tiro os sapatos, os deixo na sala. Você não esta mais aqui para reclamar da minha bagunça. Ligo o som porque não vou agüentar ouvir o eco da minha própria voz.
As roupas vão ficando pelo caminho até o banheiro. Preciso sempre de um banho, preciso pensar. E eu vou falando, narrando meu dia, como se você estivesse ali. Quer que eu diga a verdade? E nem faz tanta diferença assim, você nunca ouvia o que eu falava. Nem se dava ao trabalho de fingir...
E é preciso comer algo, mesmo que não se tenha fome, nem animo para enfrentar a cozinha vazia. O gato que você insistiu para compramos pede comida. E eu como minha comida instantânea e lavo as louças ainda escutando a seleção das nossas musicas preferidas.
Levo o gato pro quarto. Desligo o som. Acendo minhas velas, já que você não esta aqui parar dizer que vou por fogo no apartamento. Deito e me enrolo. Sem virar pro seu lado, murmuro um “boa noite” pro seu travesseiro vazio e vou dormir e sonhar que você ainda esta aqui.


será que você ainda lembra? é de 2004... do comecinho de outubro... ei, posso te contar um segredo? ainda é igual. até quando? 

domingo, 2 de maio de 2010

Das coisas ruins de morar sozinho/ ficar sozinho em casa.

A louça não se lava sozinha.
A roupa de cama também não.
A comida não se faz sozinha, alias, nem chegar na geladeira sozinha ela chega.
Comer fora de casa o tempo todo é caro e dá trabalho do mesmo jeito.
Como não tem barulho, você dorme muito mais do que precisava e perde completamente a hora.
Se você esquecer a TV ligada ela vai ficar ligada até a noite. O mesmo vale pra todos os outros eletrodomésticos, inclusive torradeiras.
O lixo não se esvazia sozinho.

Pelo menos esse fim de semana eu não precisei lavar banheiros!

sábado, 1 de maio de 2010

Já faz quantos anos? Confesso que não consigo me lembrar se foi por 2000 ou por 2001, mas não importa, são apenas datas de um arquivo que se mantém vivo.
Naquela época podíamos dizer que a proximidade e a convivência era forçada. Todo dia, de 7h ao meio dia, várias tardes e várias noites também. Podiam achar que um dia ficaríamos velhas e que nunca mais nos veríamos, como acontece com tanta gente por ai.
Mas a vida não foi bem assim. Hoje já não existe a convivência diária, aqueles abraços de bom dia, aquelas coisinhas pequenas que só surgem com o dia a dia, mas há, ainda, muita intimidade, e essa intimidade vem do amor que ainda compartilhamos.
O mundo levou cada uma para um lado e o que naquela época listrada era igual hoje se diferencia no tamanho do salto, no gosto pela maquiagem e nas profissões. De longe, para quem vê sem conhecer, são três pessoas totalmente diferentes, até difícil de imaginar juntas. Mas de perto, a velha intimidade se faz presente e todos aqueles traços de personalidade que são iguais afloram não só no nosso vegetarianismo.
É mágico perceber, e realizar, que já somos adultas, que já agüentamos nossas melhores e piores fases juntas e que ainda somos capazes de rir, sem medo, mesmo depois de meses e km de distancia.  

Que seja eterno enquanto dure, mas que dure para sempre e meus filhos agradeceram saberem matemática e não serem diabéticos!